“‘Que esperem, os idiotas’, pensou. ‘Por que tantos passam a vida sem jamais se questionar sobre a razão das coisas, perfeitamente felizes com sua estupidez completa, enquanto outros são consumidos por dúvidas, pela compulsão de saber cada vez mais?’. Estava convencido de que existem três tipos de pessoas: os ingênuos felizes, os visionários e aqueles que mais sofrem, os que sabem da existência de uma visão de infinita beleza à distância, de uma miragem que flutua ao longe e cujos segredos são acessíveis apenas aos visionários. São eles os amaldiçoados pela inabilidade em realizar seus sonhos, consumidos pela própria ambição, escanecidos por seus próprios fracassos”

* Marcelo Gleiser In: A harmonia do mundo *

Anúncios